Mês do Coração de Jesus, meditação do terceiro dia

dia 3 a formação da moça

Principal efeito da devoção ao Sagrado Coração de Jesus: o amor divino

Toda a lei de Nosso Senhor Jesus Cristo encerra-se em uma só palavra: Diliges – amarás. Ó doce lei! Lei admirável, digna do Deus que a promulgou, e única digna do homem a quem foi intimada!

Aquele que formou o coração humano bem sabe que os únicos laços capazes de prendê-lo são os de amor. Outras obrigações impôs Deus a sua criatura, todas porém se resumem nesta: amarás. Este é o preceito de Jesus Cristo por excelência: Hoc est proeceptum meum, ut diligatis. (Jo 25, 2). O meu maior preceito, a única ordem que vos dou, é que me ameis, e vos ameis mutuamente como vos amei. Este é o preceito por cujo cumprimento conhecerão todos que sois meus discípulos; aquele que me ama, cumpre a lei (Rom 13, 8).

Ó Jesus, o que vos daremos nós, por nos terdes ordenado que vos amemos, por nos haverdes tão freqüente e solenemente assegurado que nos amais?

Se todos os nossos deveres, trabalhos, combates, triunfos, se reduzem à aquisição deste único bem – o amor de Deus – é por certo extremamente grato ter à nossa disposição um meio fácil e infalível para consegui-lo.

Este meio, ao alcance de todos, é a devoção ao Sagrado Coração; e quem nos prometeu tão precioso resultado foi o próprio Jesus Cristo, como acima vimos. Diz Ele a Santa Margarida Maria: “Prometo-lhe que meu Coração dilatar-se-á para difundir com abundâncias os influxos de seu divino amor sobre aqueles que lhe tributam esta homenagem.” E em outro lugar: “Esta devoção fará nascer o amor nos corações mais empedernidos e abrasará os menos fervorosos.”

Apesar de seus inimigos, Deus reinará – escrevia Santa Margarida – e tornar-se-á Senhor e possuidor de nossos corações; porque este é o fim principal desta devoção: converter as almas a seu amor.”

Facilmente se compreende que seja este o efeito da devoção ao Sagrado Coração, pois nela tudo respira amor; seu objetivo é o Coração de Jesus Cristo abrasado de amor; seu fim, reparar as injúrias feitas ao amor; sua prática, exercícios de amor. Ela provoca à atenta consideração de tudo quanto pode inflamar este amor; a lembrança e o reconhecimento do amor, e os benefícios de Nosso Senhor, principalmente no Sacramento da Eucaristia.

O que não faria Jesus por quem fielmente o tivesse acompanhado durante sua dolorosa Paixão, quando todos os abandonavam! O que não fez São João, o único que o seguiu fielmente até o seu último suspiro! De alguma forma fez dele seu retrato, legando-lhe sua divina Mãe para ser-lhe mãe; sua Cruz, para lembrança, seu Coração, para lugar de repouso.

Jesus Cristo reserva também estes dons preciosíssimos de sua liberalidade, para aqueles que, enternecidos pelo desamparo e solidão de seus templos pelos ultrajes, desprezo e tibieza dos cristãos para com o Sacramento de seu amor, forem visitá-lo freqüentes vezes, receberem-no no coração, e cada diz repararem pela sua assiduidade, fervor e humildade, tantas e tamanhas indignidades. Nosso Senhor não se deixará vencer em generosidade: o amor será a recompensa do amor.

Lê-se na vida de Santa Gertrudes que, sendo um dia favorecida com a aparição de São João Evangelista, perguntou-lhe por que motivo, tendo ele descansado sobre o Coração de Jesus durante a Ceia, nada havia escrito para instrução nossa sobre os movimentos do divino Coração; e que o Santo responderá estas palavras memoráveis:

“Eu estava encarregado de escrever para a Igreja ainda no berço, a palavra do Verbo Encarnado; Deus, porém, reservou a suavidade dos sentimentos do divino Coração para manifestá-la nos últimos tempos, na velhice do mundo, a fim de reacender a caridade que arrefecer-se-á consideravelmente.”

Já chegamos a esses tempos de que falou o Discípulo amado à Santa. O fogo da caridade está extinto em quase todos os corações; mas por que perderemos a confiança? A devoção ao Sagrado Coração, que se propaga por toda a parte, vai avivá-lo.

PRÁTICA

Meditar na Paixão e nas dores do Sagrado Coração de Jesus, durante o Santo Sacrifício da Missa.

ORAÇÃO JACULATÓRIA

Quem nos separará de vosso amor, ó Coração de Jesus? Quis nos separabit a charitate Christi?

3 VEZES

Divino Coração de Jesus, tende piedade de nós.

Coração Imaculado de Maria, rogai por nós.

O livro pode ser baixado no blog alexandria católica.

Sobre Débora Maria Cristina

email para contato: aformacaodamocacatolica@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: