Vigésimo quinto dia de meditação do mês de São José

25 a formação da moça católica

Clique aqui e faça a oração inicial para todos os dias do mês de março.

Oremos hoje para que Deus nos guarde de pensar mal de outrem.

São José vivia na humildade

Trabalhava para contentar a Jesus e a Maria: muitas vezes algum deles com um benévolo sorriso lhe agradecia e então José, todo venturoso, bendizia a Deus pelo prêmio que lhe dava. – A humildade é isto. – Ser humilde não é dizer em toda a parte que nada se faz de bom, mas é atribuir a Deus as nossas vantagens e elevar sempre a ele os elogios que nos dirigem… O que pondereis fazer de útil, sem o socorro de Deus? Nada. Vossa inteligência, vossos órgãos, tudo vos é dado por Ele.

Oh! Se algures sois estimado, louvado, recompensado, alegrai-vos, com razão, mas como José, dizei: Graças ao bom Deus! acostumai-vos a tudo referir a Deus… Que manancial de paz, quando somos advertidos ou censurados! Tem-se pesar, mas não se sente perturbação e diz-se: Procederei melhor daqui em diante, porque escutarei mais a Deus.

Recitarei hoje com fervor o meu terço em honra da Anunciação da Santíssima Virgem.

EXEMPLO

A 25 de Junho de 1868, cerca das 7 horas da manhã uma violenta borrasca desabou sobre a cidade de Fermo na Itália. Uma das várias faíscas elétricas que nessa ocasião caíram penetrando no andar superior do palácio de um conde, pelos cordões das campanhas, desceu ao pavimento inferior, percorreu salas e chegou até a alcova em que o nobre dormia. Passado o momento do pânico ouviram-se gritos do dono da casa que clamava: “Milagre! Milagre!”. O raio não só não havia ofendido a ninguém, mas sem deixar vestígios de sua passagem na alcova, desaparecera por detrás de um quadro de São José, suspenso na parede, ao lado do leito. Dera-se, na véspera à noite, uma circunstância que parecia explicar de algum modo o prodígio. O fidalgo tinha o costume de recitar às quartas-feiras os Salmos de São José e naquele dia se recolhera sem o fazer deixando a sua devoção para o dia seguinte: mas, custando a conciliar o sono, erguer-se, acendeu a luz e naquela mesma hora rezou. Na manhã seguinte, logo ao despertar, tinha aquele vivo testemunho da proteção especial que lhe dispensava o seu Santo predileto.

Supliquemos a São José que nos defenda contra todo o perigo de morte violenta.

Obs.: Trecho retirado do livro “Mês de São José” do Mons. José Basílio Pereira, 1948. O livro pode ser baixado no blog alexandriacatólica.

Sobre Débora Maria Cristina

email para contato: aformacaodamocacatolica@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: