Décimo terceiro dia de meditação do mês de São José

2039_1684005825185919_949140562784785832_n

Clique aqui e faça a oração inicial para todos os dias do mês de março.

Oremos para que o nosso bom Deus nos inspire desejo de propagar cada vez mais a devoção a Santíssima Virgem.

São José tinha uma afeição terna por Maria

Amava-a por virtudes. “Maria”, diz um autor pio, “até nas mínimas coisas desvelava-se com São José: informava-se de seus gostos, de suas necessidades, de seu trabalho; velava em que nada lhe faltasse, estava sempre disposta a lhe fazer a vontade.” O coração de São José compreendia estas delicadezas e procurava provar-lhe o reconhecimento. Ele amava a Maria, principalmente porque era Mãe de Jesus!

Não tenho também eu as mesmas razões, para amar a Virgem Mãe? Ah! Se eu procurasse examinar o que Maria faz por mim, não a encontraria sempre solícita comigo e a me dispensar cuidados. Não é Ela quem me dá Jesus? Eu também vos amo, ó Maria, sim, eu Vos amo!

EXEMPLO

O Padre Huguet, religioso marista, foi na segunda metade do século passado o mais ardente pregador da devoção a São José. Não há muitas pessoas piedosas que desconhecem as inúmeras publicações que fez sobre o culto ao Santo Patriarca. O Padre Ramiére, fundador do “Apostolado da Oração”, escreveu-lhe um dia o seguinte: Se a imprensa é um campo de batalha, se cada bom livro que encontra aceitação é uma vitória ganha para causa de Deus, se cada exemplar espalhado na sociedade é um soldado que continua durante anos a combater o erro e o vício: eu não sei se haverá na França um Marechal que comande um exército tão numeroso quanto o vosso e que em sua fé de ofício conte tantas campanhas felizes. “Os dois ilustres religiosos morreram quase ao mesmo tempo em 1884 e um dos companheiros do Padre Huguet, relatando ao “Mensageiro do Coração de Jesus” a morte do santo sacerdote, o fez assim: “Como o intrépido apóstolo do Sagrado Coração, o zeloso propagador do culto de São José, morreu com as armas na mão! Desde certo tempo o Revmo. Padre Huguet falava muitas vezes da morte, mas exteriormente nada fazia prever um fim tão próximo. A 19 de fevereiro caiu de cama e, a 21, às 7 horas da manhã, depois de curta e suave agonia, entregou a alma a Deus. Na véspera, tinha recebido o Santo Viático e a Extrema-Unção com sentimentos de resignação e piedade que edificaram todos os assistentes. Depois chamou-me para junto de si e ditou-me estas palavras: “Tendo tido hoje a felicidade de receber todos os sacramentos, pedi a Deus pela Sagrada Família a graça de acabar bem a minha vida conforme sua divina vontade. Ah! Como nestes momentos solenes se aprecia o favor de ser religioso… filho de Maria… devoto de São José!

Invoquemos particularmente a São José em favor de todos os pregadores do seu culto.

Obs.: Trecho retirado do livro “Mês de São José” do Mons. José Basílio Pereira, 1948. O livro pode ser baixado no blog alexandriacatólica.

Sobre Débora Maria Cristina

email para contato: aformacaodamocacatolica@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: