Trigésimo primeiro dia de meditação do Mês de Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento.

Coracao_de_Maria

Consagração a Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento

I. Ao finalizar esse belo mês que vos temos consagrado, ó Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, depois de termos meditado vossas grandezas e admirado a perfeição de vossas adorações e de vosso serviço eucarístico no Cenáculo, resta-nos consagrarmo-nos inteiramente a vós a fim de que vos digneis nos proteger e dirigir em nossa vocação adoradora.

Às vossas divinas mãos, confio, pois a direção de minha vocação e a graça de cumprir os sublimes deveres que ela me impõe.

Bela, por certo, é minha vocação de adorador, e entre todas as mais bela, pois que me estabelece para sempre no serviço da adorável Pessoa de Jesus Cristo em seu divino Sacramento.

É uma vocação privilegiada porque me dá direito de dirigir-me à sua divina Pessoa diretamente, sem intermediário. É bela e sublime, pois que compartilho das funções dos Anjos, e se ousasse dizer, até mesmo do serviço da Santíssima Virgem para com Jesus.

Esta divina vocação requer qualidades especiais, virtudes reais; exige uma pureza ao menos vulgar, e eu nada tenho, nada posso. Pelo contrário, só tenho defeitos e maus hábitos; estou cheio de amor próprio; não tenho humildade nem mansidão, nem espírito de mortificação; não sei orar nem meditar e tenho apenas uma piedade rotineira, alguns pobres pensamentos de virtude, mesquinhos e incompletos.

Ai de mim, Deus meu! Vós que deveríeis ter ao vosso serviço tudo quanto pode haver de maior, de mais perfeito e de mais santo, como pudestes escolher-me? A mim, fraco, pobre, criatura sem valor, repleta de misérias, assinalada ainda com as cicatrizes dos pecados passados, ainda toda desfigurada com a letra do homem velho que vive em mim?! Como me atreverei a aceitar essa honra, habitar com os Anjos, na mesma casa de vossa divina Mãe, permanecer em vossa companhia e em vossa soberana presença?

Ó Maria, minha celestial Rainha e divina Mãe, não posso aceitar esta graça, tornar-me o feliz servo de Jesus Eucaristia, se não consentirdes em me formar, educar-me, revestir-me de vosso espírito, virtudes e méritos; se não me quiserdes como vosso filho, vós que sois a Rainha e Mãe dos servos de Jesus, vós que só viveis para Jesus e que nos amais em Jesus e por Jesus.

Em vossas mãos entrego, pois, ó boa Mãe, a graça e a direção de minha vocação. A vós me entrego, apresentai-me a Jesus, e assim apresentado e formado por vós, ó boa Mãe, Jesus, meu bom Mestre, me acolherá benignamente e há de me amar em vós.

II. Se minha vocação é bela, grandes e sublimes são seus deveres. Devo passar minha vida na adoração aos pés do trono do Amor Encarnado, fazendo diante do trono eucarístico o mesmo que os Anjos e Santos fazem e eternamente hão de fazer no céu; louvar sua bondade infinita, bendizer sua misericórdia ilimitada, agradecer seu amor, dedicar-me à sua glória, imolar-me pelos pecadores, consumir-me pela extensão de seu reinado na terra.

Devo viver sempre com Jesus Sacramentado, como a Santíssima Virgem em Nazaré e no Cenáculo, e como os santos na glória do céu.

Não devo abandoná-LO para servir e seguir o próximo; minha missão é idêntica à de Madalena contemplativa, com a Rainha dos Apóstolos no Cenáculo, orando diante do Tabernáculo e convertendo o mundo por sua oração aos pés da Eucaristia; é a missão de Santa Tereza, de Santa Catarina de Sena e de outras almas santas que fazem um contínuo apostolado de oração e imolação.

Devo honrar de um modo especialíssimo a vida interior e oculta de Jesus no Santíssimo Sacramento; devo viver desconhecido dos homens, mesmo dos santos e piedosos; esquecido dos meus, desprezado pelo mundo, morto a tudo, para viver mais pura e livremente com Jesus, em Deus.

Mas, como poderei desempenhar sozinho tão sublimes deveres? Como me atreverei a aproximar-me de Jesus e servi-LO? Ai de mim, sozinho hei de me envergonhar. Oh! Minha boa Mãe, já que vos dignastes ser minha Mãe, permiti-me adorar convosco a Jesus, bendizê-LO com vossos louvores, suplicá-LO com vossas preces, servi-LO com vossas mãos, amá-LO com vosso coração, glorificá-LO com vossa santidade. Assim serei vosso discípulo, vosso filho, e ousarei dizê-LO? Uma pequenina Maria, uma outra vós mesma servindo a Jesus.

Ó boa Mãe, a vós contarei, simples e ingenuamente, minhas faltas. Repetir-vos-ei minha ignorância, minha pouca instrução e meus pequeninos sucessos; hei de ofertar-vos as modestas florinhas das virtudes que praticar e oferecereis tudo isto a Jesus, e eu me unirei a vós. Somente sob esta condição espero tornar-me um verdadeiro servo do Santíssimo Sacramento.

Meu Deus, eis aqui vosso humilde servo; faça-se em mim segundo vossa misericordiosa bondade e conforme vossa graça de amor.

Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, Mãe e Modelo dos adoradores, rogai por nós que recorremos a vós.

Para o encerramento do mês

Ó Mãe do Verbo Encarnado, Virgem Imaculada. Tabernáculo vivo da Eterna Sabedoria! Ó Nossa Senhora do Santíssimo Santíssimo Sacramento, escolho-vos neste dia e para sempre por minha Rainha e minha Mãe; coloco-me sob vossa especial proteção e sob vossa direção tão sábia e tão amável. Consagro-me por vós a Jesus no Santíssimo Sacramento, por este seu desejo e sua vontade, que nos cheguemos a Ele por vós, ó Maria.

Apego-me e uno-me a vós, porque preciso de vosso amor, de vosso auxílio, de vossos exemplos e de vossas graças; porque sei que quanto mais vos amar e vos for dedicado tanto mais amarei e servirei fielmente a Jesus; porque sois a Mãe e o Modelo dos adoradores e que só Vós me podeis formar no serviço real da Eucaristia, ensinar-me seu espírito, obter-me o amor e a perfeição.

Ó Maria! Ó Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, ó piedosíssima, ó dulcíssima, ó Imaculada Virgem! Dignai-vos apresentar-me a Vosso Filho Jesus, para que eu seja seu servo e seu perpétuo adorador, unicamente dedicado ao serviço de seus direitos e de sua Divina Pessoa, à glorificação de sua Real Presença e à exaltação de seu reino eucarístico. Apresentai-Lhe, eu vos peço, meu espírito e meu coração, minha alma e meu corpo, todo o meu ser enfim, para que de ora em diante não mais me pertença em coisa alguma, mas seja d’Ele por vós, no tempo e na eternidade.

ASSIM SEJA.

Obs.:Trecho extraído do livro: Mês de Nossa Senhora do Santíssimo Sacramento, do Bem aventurado Pedro Julião Eymard. O mesmo pode ser baixado no blog alexandriacatolica.blogspot.com.br

Sobre Débora Maria Cristina

email para contato: aformacaodamocacatolica@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: