Segundo dia da Novena de São Luiz Gonzaga – de 12 a 20 de junho –

São Luiz Gonzaga
 

Veni, Sancte Spiritus, reple tuorum corda fidelium, est tui amoris in eis ignem accend.

  1. Emitte Spiritum tuum, et creabuntur;
  2. Et renovabis faciem terrae.

Oremus

Deus qui corda fidelium Sancti Spiritus illustratione docuisti, da nobis in eodem Spiritu recta saperem et de ejus semper consolatione gaudere. Per Christum Dominum nostrum. Amem.

Oração preparatória

Para todos os dias

Senhor meu Jesus Cristo, Deus e homem verdadeiro, Criador, Pai e Redentor meu, prostrado humildemente ante vossa divina Majestade, vos suplico me deis graça para fazer com fruto este santo exercício. Infundi em meu coração o espírito de piedade, com que, arrependido de meus graves pecados, vos dê graças pelos infinitos benefícios que de Vós me vêem continuamente; e em especial por me haverdes dado por Protetor o angélico jovem São Luiz Gonzaga, modelo insigne de santidade e perfeito exemplar de todas as virtudes. Apodere-se de mim vosso divino Espírito, para que meditando atentamente as heróicas virtudes de meu glorioso Advogado, louve vossa Bondade nas copiosas e extraordinárias graças que lhe concedestes, e em seus generosos esforços, para lhes corresponder. Abrandai com vossa graça meu coração endurecido, para que, estimulado eficazmente pelo admirável exemplo do zeloso Protetor da juventude cristã, aprenda o muito que vale minha alma e, desprezando o mundo e tudo o que lhe pertence, busque só a Vós, Bondade Infinita, para gozar-vos eternamente no Céu.

Segundo dia

Penitência

Consideremos a admirável penitência de São Luiz Gonzaga. Havendo conservado sempre a inocência batismal, fez tanta penitência pelas faltas levíssimas que cometera sendo de quatro ou cinco anos de idade, que causou e causará sempre admiração aos mais perfeitos. Julgava-se o maior pecador do mundo, desprezava-se e se aborrecia como tal. Cheio de amor de Deus, em que se abrasava seu coração, tanto aborreceu tudo o que lhe parecia ofensa do Senhor, que ao confessar-se, em Florença, caiu desmaiado aos pés do confessor, sem poder continuar em todo esse dia a sua confissão. Porém, não contente em derramar fervorosas lágrimas durante toda a sua vida, macerou seu corpo inocente com incríveis penitências. Jejuns rigorosos e continuados, disciplina de sangue, cilícios e toda a espécie de mortificações; – eis o que desejava praticar sempre, tanto no mundo, como na Religião. Assim se assemelhava ao inocente e pacientíssimo Jesus, em quem e por quem vivia. Assim argúe e repreende hoje nossa moleza, nossa criminosa condescendência com os sentidos.

Colóquio

Ó admirável penitente, inocentíssimo jovem São Luiz, eu vos louvo e bendigo, ao tributar-vos dignos afetos de admiração por vossa singularíssima penitencia. Alcançai-me de Deus uma grande dor de meus gravíssimos e inumeráveis pecados, que me mortifique sequer em coisas pequenas, e que padeça, com resignação, ao menos para cumprir perfeitamente com as obrigações de meu estado; fazei que meu coração arrependido e contrito se disponha sempre para receber com fruto o Santo Sacramento da Penitência. Comunicai-me parte desse divino amor tão ardente que sempre abrasou vosso coração, para que, purificado o meu de todo o afeto a culpa, se dirija só a agradar a Deus. Ouvi-me benigno, amado Protetor meu, para que, imitando-vos com a divina graça, chegue a ver o meu Deus e amá-lo perfeitamente convosco no Céu. Amém.

Oração Final

Para todos os dias

Gloriosíssimo São Luiz Gonzaga, eu vos encomendo a castidade da minha alma e do meu corpo, para que vos digneis consagrar-me inteiramente ao Cordeiro Imaculado, Cristo Jesus, e à sua Mãe Puríssima Maria Santíssima, afim de que viva sempre limpo de todo o pecado de impureza. Acendei em meu coração a chama vivificante do amor de Deus e do próximo. Alcançai-me que, humilde e mortificado, viva só para Deus e para salvar minha alma. Abençoai minhas resoluções, fortalecei meu coração, para que sempre minha oração seja fervorosa, assídua e perseverante, com que me assemelhe a vós, e em tudo me mostre vosso verdadeiro devoto.

E vós, Imaculada Mãe de Deus e Mãe nossa, Maria Santíssima, que tanto amastes e favorecestes a vosso predileto filho São Luiz, ajudai-nos com vossa poderosíssima proteção, não porque nós a mereçamos, mas pelos merecimentos e intercessão de nosso glorioso Protetor, Socorrei a vossos filhos que, em união com aquele puríssimo e angélico jovem, acodem a vós, para que, mostrando-nos agradecidos a tantas graças que nos dispensais, mereçamos ser sempre vossos fidelíssimos devotos, afim de vos ver e gozar no Céu. Amém.

 

 

Sobre Débora Maria Cristina

email para contato: aformacaodamocacatolica@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: