Arquivo do mês: novembro 2011

Para imitar Maria Santíssima…

…rezemos 7 dias.
·        Primeiro dia
Tornar-se humilde como Maria

Maria se lembrava que tudo nela era dom de Deus. Guardava em segredo, mesmo diante de seu esposo, as graças e favores divinos com que era agraciada por Deus. Ela oferecia ao Senhor os louvores que recebia. Ela se comprazia em servir ao próximo e a se colocar sempre em último lugar. Ela não temia o desprezo; ela não foi vista em Jerusalém no Domingo de Ramos, na ocasião em que o povo recebeu seu Filho com todas as honrarias. Mas não teve medo de comparecer ao Calvário, onde foi reconhecida como a mãe de um condenado. Santa Catarina Labouré, vós ocultastes no silêncio a graça maravilhosa de ter visto a Santa Virgem. Rogai por mim quando eu quiser me valorizar diante do próximo.
Ó Maria Imaculada, Mãe de Deus e nossa Mãe, vós que tendes horror ao orgulho, revesti-me com o manto da vossa humildade. E lembrai-vos de… (minha intenção particular)…
Pai Nosso, Ave Maria, Glória ao Pai. . .
Ó Maria concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós!
Fonte: Folheto da Chapelle Notre Dame de La Medaille Miraculeuse
Em Jesus e Maria,
Débora Cristina.

OS PADRÕES MARIANOS PARA MODÉSTIA E MORALIDADE NO VESTIR

 “Nós dizemos que uma veste não pode ser declarada modesta se estiver com o colo abaixo de dois dedos da linha do pescoço, se não cobrir os braços ao menos até os cotovelos, e que escassamente alcance um pouco abaixo dos joelhos. Além do mais, vestidos de material transparente são impróprios” (Cardeal Vigário do Papa Pio XI).
1. Ser Mariano é ser modesto sem concessão, “como Maria” mãe de Cristo.
2. Os trajes Marianos têm mangas que se estendem pelo menos até os cotovelos; e saias abaixo dos joelhos. Padrões Marianos aceitáveis foram revelados em várias revelações privadas desde 1917 em todo o mundo. Um destes padrões é de que o traje ou saia devem ser pelo menos 8 centímetros abaixo do joelho. Nossa Abençoada Mãe foi muita específica em uma destas revelações particulares comentando que quando uma mulher se senta seu vestido ou saia deveria cobrir seus joelhos com os 8 centímetros requeridos. Nossos corpos não são todos do mesmo tamanho e contorno. Portanto algumas mulheres talvez tenham que adicionar alguns centímetros em seus vestidos e saias porque quando se sentam o vestido e saia tem uma tendência de repuxar deixando os joelhos expostos. (Nota: Devido às condições de mercado, mangas de um – quarto de comprimento são temporariamente toleradas com Aprovação Eclesiástica, até que o conjunto das mulheres Cristãs volva-se novamente para Maria como modelo de modéstia no vestir.
3. Trajes Marianos requerem cobertura completa para o corpo, tórax, ombros e costas; com exceção de uma abertura para o pescoço não excedendo 5 centímetros abaixo da linha do colarinho na frente e atrás, e 5 centímetros correspondentes nos ombros.
4. Trajes Marianos não admitem como roupas modestas tecidos transparentes, fitas, tecidos de redinha, organdi, nylons, etc. a menos que um forro suficiente seja
adicionado. Contudo o seu uso moderado como acessório é aceitável.
5. Vestimentas Marianas evitam o uso impróprio de tecidos “cor da pele”.
6. Trajes Marianos escondem ao contrário de revelar a silhueta da usuária, não
enfatizam, desnecessariamente, partes do corpo.
7. Vestes Marianas provêem cobertura completa, mesmo quando o casaco, capa ou estola for retirada e após tomar uma posição sentada.
CAPÍTULO III
Cruzada pela modéstia

Solenidade de Cristo Rei do universo

Consagração do gênero humano ao Sagrado Coração de Jesus
   Dulcíssimo Jesus, Redentor do gênero humano, lançai sobre nós que humildemente estamos prostados diante do vosso altar, os vossos olhares. Nós somos e queremos ser vossos; e a fim de podermos viver mais intimamente unidos a Vós, cada um de nós se consagra espontaneamente, neste dia, ao vosso Sacratíssimo Coração.
   Muitos há que nunca vos conheceram; muitos, desprezando os vossos mandamentos, Vos renegaram. Benigníssimo Jesus, tende piedade de uns e de outros e trazei-os ao Vosso Sagrado Coração.
   Senhor, sede Rei não somente dos fiéis que nunca de Vós se afastaram, mas também dos filhos pródigos que Vos abandonaram: fazei que estes tornem quanto antes à casa paterna para não perecerem de miséria e de fome.
   Sede Rei dos que vivem iludidos no erro ou separados de Vós pela discórdia: trazei-os ao porto da verdade e à unidade da Fé, a fim de que em breve haja um só rebanho e um só pastor.
   Senhor, conservai incólume a vossa Igreja e dai-lhe uma liberdade segura e sem peias; concedei ordem e paz a todos os povos; Fazei que de um pólo a outro do mundo ressoe uma só voz: Louvado seja o Coração divino, que nos trouxe salvação; honra e glória a Ele por todos os séculos.  Amém.
*Concede-se indulgência parcial ao fiel que recitar piedosamente este ato, e plenária quando se recitar publicamente na solenidade de Jesus Cristo Rei.

 (Enchiridion Indulgentiarum, Concessiones, 2 – corresponde à 27ª da 3ª ed. do Manual) 

Para lucrar a indulgência plenária, além da repulsa de todo o afeto a qualquer pecado até venial, requerem-se a execução da obra enriquecida da indulgência e o cumprimento das três condições seguintes: confissão sacramental, comunhão eucarística e oração nas intenções do Sumo Pontífice.

A condição de rezar nas intenções do Sumo Pontífice se cumpre ao se recitar nessas intenções um Pai-nosso e uma Ave-Maria, mas podem os fiéis acrescentar outras orações conforme sua piedade e devoção.

 (Manual das Indulgências, Norma 23, Parágrafo 1 e 5)

Meditação sobre a morte…

Salve Maria!
Nesta última quarta-feira me senti mal no trabalho, minha pressão arterial estava alterada, senti dores no peito ao respirar e cansaço, fiquei a quinta-feira toda em casa descansando e hoje de manhã me veio a mente o fato de que Deus pode me levar deste mundo a qualquer momento… Isto me serviu para fazer um exame de consciência e meditar a Imitação de Cristo, segue o texto da Imitação:
“1. Mui depressa chegará teu fim neste mundo; vê, pois, como te preparas: hoje está vivo o homem, e amanhã já não existe. Entretanto, logo que se perdeu de vista, também se perderá da memória. Ó cegueira e dureza do coração humano, que só cuida do presente, sem olhar para o futuro! De tal modo te deves haver em todas as tuas obras e pensamentos, como se fosse já a hora da morte. Se tivesses boa consciência não temerias muito a morte. Melhor fora evitar o pecado que fugir da morte. Se não estás preparado hoje, como o estarás amanhã? O dia de amanhã é incerto, e quem sabe se te será concedido?
2. Que nos aproveita vivermos muito tempo, quando tão pouco nos emendamos? Oh! nem sempre traz emenda a longa vida, senão que aumenta, muitas vezes, a culpa. Oxalá tivéssemos, um dia sequer, vivido bem neste mundo! Muitos contam os anos decorridos desde a sua conversão; freqüentemente, porém, é pouco o fruto da emenda. Se for tanto para temer o morrer, talvez seja ainda mais perigoso o viver muito. Bem-aventurado aquele que medita sempre sobre a hora da morte, e para ela se dispõe cada dia. Se já viste alguém morrer, reflete que também tu passarás pelo mesmo caminho.
3. Pela manhã, pensa que não chegarás à noite, e à noite não te prometas o dia seguinte. Por isso anda sempre preparado e vive de tal modo que te não encontre a morte desprevenido. Muitos morrem repentina e inesperadamente; pois na hora em que menos se pensa, virá o Filho do Homem (Lc 12, 40). Quando vier àquela hora derradeira, começarás a julgar mui diferentemente toda a tua vida passada, e doer-te-á muito teres sido tão negligente e remisso.
4. Quão feliz e prudente é aquele que procura ser em vida como deseja que o ache a morte. Pois o que dará grande confiança de morte abençoada é o perfeito desprezo do mundo, o desejo ardente do progresso na virtude, o amor à disciplina, o rigor na penitência, a prontidão na obediência, a renúncia de si mesmo e a paciência em sofrer, por amor de Cristo, qualquer adversidade. Mui fácil é praticar o bem enquanto estás são; mas, quando enfermo, não sei o que poderás. Poucos melhoram com a enfermidade; raro também se santificam os que andam em muitas peregrinações.
5. Não confies em parentes e amigos, nem proteles para mais tarde o negócio de tua salvação, porque mais depressa do que pensas te esquecerão os homens. Melhor é providenciar agora e fazer algo de bem, do que esperar pelo socorro dos outros. Se não cuidas de ti no presente, quem cuidará de ti no futuro? Mui precioso é o tempo presente: agora são os dias de salvação, agora é o tempo favorável (2 Cor 6, 2). Mas, ai! Que melhor não aproveitas o meio pelo qual podes merecer viver eternamente! Tempo virá de desejares, um dia, uma hora sequer, para a tua emenda, e não sei se a alcançarás.
6. Olha, meu caro irmão, de quantos perigos te poderias livrar e de quantos terrores fugir, se sempre andasses temeroso e desconfiado da morte. Procura agora de tal modo viver, que na hora da morte te possas antes alegrar que temer. Aprende agora a desprezar tudo, para então poderes voar livremente a Cristo. Castiga agora teu corpo pela penitência, para que possas então ter legítima confiança.
7. Ó louco, que pensas viver muito tempo, quando não tens seguro nem um só dia! Quantos têm sido logrados e, de improviso, arrancados ao corpo! Quantas vezes ouviste contar: morreu este a espada; afogou-se aquele; este outro, caindo do alto, quebrou a cabeça; um morreu comendo, outro expirou jogando. Estes se terminaram pelo fogo, aqueles pelo ferro, uns pela peste, outros pelas mãos dos ladrões, e de todos é o fim a morte, e, depressa, qual sombra, acaba a vida do homem (Sl 143, 4).
8. Quem se lembrará de ti depois da morte? E quem rogará por ti? Faze já, irmão caríssimo, quanto puderes; pois não sabes, quando morrerás nem o que te sucederá depois da morte. Enquanto tens tempo, ajunta riquezas imortais. Só cuida em tua salvação, ocupa-te só nas coisas de Deus. Granjeia agora amigos, venerando os santos de Deus e imitando suas obras, para que, ao saíres desta vida, te recebam nas eternas moradas (Lc 16, 9).
9. Considera-te como hóspede e peregrino neste mundo, como se nada tivesses com os negócios da terra. Conserva livre teu coração, e erguido a Deus, porque não tens aqui morada permanente. Para lá dirige tuas preces e gemidos, cada dia, com lágrimas, a fim de que mereça tua alma, depois da morte, passar venturosamente ao Senhor. Amém.”
Tomás de Kempis
Imitação de Cristo”, cap. XXIII, 1-9
Em Jesus e Maria,
Débora Cristina

Novo livro no Apostolado Maria Santíssima e Modéstia

Salve Maria!

Clique  aqui e baixe o livro Modéstia e Pudor  pelo Pe. Leonardo Maria Pompei, no Apostolado Maria Santíssima e Modéstia.


“É um resumo bastante acessível da importância da modéstia e do pudor, ideal para os que estão despertando para estas virtudes, e excelente meio de apresentá-las àqueles que ainda não conhecem as palavras da Igreja sobre o tema.” Apostolado Maria Santíssima e Modéstia

Em Jesus e Maria,

Débora Cristina

Uma introdução à formação da moça católica…

Salve Maria!

Eu sempre quis ter um blog, partilhar com outras pessoas um pouquinho do que aprendo e neste meu processo de conversão, posso partilhar coisas pertinentes à formação da moça católica. Não tenho um projeto de postagens e não escrevo tão bem assim, mas pretendo falar geralmente sobre feminilidade e catolicismo. Vejo como muitas pessoas entendem errado ou ignoram o que seja ser feminina e ser católica, desde o dia 19 de outubro do mês passado estou trabalhando (novamente) em um posto de saúde, a maioria de minhas colegas são mulheres, temos apenas um homem entre nós e neste local eu posso presenciar diariamente a atitude das pessoas sobre a feminilidade (a masculinidade também, certamente) e sobre a Igreja de Nosso Senhor Jesus Cristo, para vocês terem uma idéia, o fato de eu não usar calças causa um grande espanto nas pessoas e já me perguntaram se sou testemunha de Jeová, protestante (“evangélica”), casada ou freira, em menos de um mês já tentaram “deduzir” por que eu não sigo a moda mundana, ou seja é chocante demais uma moça não seguir a moda, é necessário ter alguma explicação “lógica” para isso, se eu usasse saias acima dos joelhos, tudo bem, se eu usasse saias com blusas de alcinha ou tomara-que-caia, tudo bem, mas usar saia abaixo dos joelhos, com blusa de manga é demais, “essa moça tem que ter algum ‘problema’, ou então ela usaria roupas ‘normais’ como todo mundo…”
Para dizer a verdade, eu nunca sei bem como dizer para as pessoas o motivo de usar saia, sem ofender, eu queria poder ter um folder do Apostolado Maria Santíssima e modéstia sempre à mão, ou post especial sobre a saia modesta do blog Teus Vestidos da Luciana Lachance.
Enfim, quando vejo o quanto desagrada ser feminina e modesta fico lembrando das palavras de Nosso Senhor: “O servo não é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também vos hão de perseguir.” E mais “Eis que eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos”. Estar no meio destas moças me faz pedir muito mais o auxílio de Nossa Mãe Santíssima a Rainha da modéstia.
Bom, espero contribuir de alguma forma com o apostolado.
Em Jesus e Maria,
Débora